A Termografia médica infravermelha é o meio de diagnóstico utilizado na medicina para detectar todas as mudanças da atividade funcional dos órgãos internos e tecidos do corpo, mesmo quando ainda não há alterações a nível físico, e os outros meios complementares de diagnóstico nada revelam.
A  câmera termográfica capta a radiação infravermelha emitida pelo corpo, e transforma-a em sinais elétricos. Este equipamento de diagnóstico observa e reproduz simultaneamente os padrões térmicos do corpo humano, que refletem tudo o que acontece no nosso organismo.

Os militares durante a II guerra mundial foram os primeiros a utilizarem o  infravermelho, onde a tropa poderia movimentar-se e localizar os inimigos a noite na área de combate, pela localização da emanação do calor  do corpo humano captado pelas câmeras de infravermelho.

Na medicina foi introduzido em 1957 pelo Dr. R. Lawson que descobriu a diferença de temperatura na pele de uma mama com tecido normal e outra com câncer. Com o aprimoramento das câmeras e uso de softwares mais avançados ocorreu um avanço significativo na exatidão e análise das imagens e o  diagnóstico tornou-se muito mais preciso, antes mesmo na lesão física aparecer.

A foto mostra uma mama com lesão cancerígena. Pelo diagnóstico  termográfico o câncer de mama pode ser diagnosticado com maior brevidade, antes mesmo de aparecer lesões palpáveis, mas já com início de um processo maligno. O exame pode ser realizado em mulheres de qualquer faixa etária inclusive em grávidas.

Como funciona a termografia?

Quando feita a tomada da imagem termográfica um sensor capta os sinais elétricos da radiação térmica da pele e converte em valores digitais. A termografia por infravermelho mede a temperatura e compara com o lado oposto, e é considerado anormalidade padrão assimétrico igual ou superior a 0,3°C que geralmente ocorre quando existe uma alteração simpática ou na presença de lesão traumática, alteração inflamatória ou vascular local.
São utilizados os termos hiper radiante ou hiporradiante para designar os valores de temperatura emitidos pelo corpo. A radiação infravermelha está associada com a oscilação ou transmissão de elétrons dentro da matéria, induzida pela temperatura, isto é; quanto maior a temperatura, maior é a radiação.
Vários fatores podem influenciar a medição termográfica como: equipamento (resolução), individuo (índice massa corpórea, estresse, pressão arterial e temperatura corporal) e ambiente (temperatura e umidade do ar).
A termografia é um teste funcional e não anatômico, portanto quando houver a suspeita de lesão estrutural, outros métodos de imagens devem ser executados.

Para quais diagnósticos está indicada?

Disfunção da ATM e dores Orofaciais; distúrbio do sono; fibromialgia; enxaqueca; lesões por esforço repetitivo (LER); lesões desportivas; síndrome dolorosa; doenças de ossos, articulações e músculos;  alterações vasculares superficiais e profundas; tumores de pele;    alterações na tireoide; doenças do sistema nervoso. Auxilia no diagnóstico de: doenças gastrointestinais; de ouvido, nariz e garganta; doenças cardiovasculares, hematológicas; imunológicas; pulmonares e endocrinológicas; urinárias e ginecológicas; detecção de câncer das mamas; e muito mais. Faz o confronto em situações de falsas dores ou prova da sua existência.

Na disfunção das articulações temporomandibulares, que é uma alteração multifatorial caracterizada por alterações funcionais e patológicas que afetam a articulação (disco), músculos mastigatórios, nervos cranianos e dentes, seu diagnóstico que por vezes torna-se difícil devido ao comprometimento muscular, e também quanto à intensidade e delimitação de um processo inflamatório gerado por sobrecargas no sistema muscular mastigatório. O bruxismo e a desarmonia oclusal vêm acompanhados de uma sobrecarga desigual sobre a musculatura, que acabam exercendo suas funções de forma desequilibrada, exacerbada, e como consequências ficam sobrecarregados em relação ao mesmo músculo contralateral. Causando a inflamação e muitas vezes seguidos dos pontos doloridos que são de difíceis avaliações em um exame clinico e radiográfico normal.

Muitas das sintomatologias dolorosas das ATMs não ficam localizadas apenas na região peri auricular, elas podem irradiar pela cabeça causando dores de cabeça, podendo ser na região temporal, frontal, mandibular, cervical, escapular,  dor lombar, dor na pelve, dores nos braços e pernas inclusive com sensações de parestesias. As dores podem também se apresentar por pontos gatilhos ou trigger points, que muitas vezes são de difícil localização.

Com o uso da termografia médica é fácil identificar a disfunção da articulação e os pontos gatilhos, pois estes se apresentam como pontos aquecidos hiper radiantes e também se ocorre o comprometimento dos músculos vertebrais.

Os pontos gatilhos podem ser caracterizados como  uma área de hipersensibilidade que geralmente fica dentro do músculo esquelético, podendo ser associado com dor local ou regional ou também pode ocorrer como uma dor referida,  onde a dor está longe ao ponto principal.

Contra indicações

Não existe nenhuma contra-indicação, crianças pequenas, gestantes e idosos podem realizar o exame.